quinta-feira, 12 de abril de 2012

PASTOR ALCIDES FÁVARO – PROPRIETÁRIOS OU MORDOMOS. A administração de nossa vida em toda a sua extensão física, moral, material...

Mordomia é o exercício das funções de mordomo. O mordomo, por sua vez, trata da administração de uma casa ou de bens de outrem. As palavras: família, casa, pai de família, bens, mordomo, servo, administrador, estão ligadas diretamente ao exercício da mordomia. Também entendemos que a administração de nossa vida em toda a sua extensão física, moral, material e espiritual, deve estar em conformidade com a palavra de Deus. Quando assim fazemos, somos “MORDOMOS DE DEUS”. E, em se tratando da obra do Senhor, precisamos exercer com fidelidade todas as atividades, na qualidade de verdadeiros mordomos Dele.
Ser proprietário significa possuir alguma coisa, ser dono, senhor ou possuidor de bens imóveis e móveis. Comparando-se então, “mordomo” com “proprietário”, fica claro que são papéis diferentes.
Não são poucos os que se tornam proprietários de igrejas, tesourarias, departamentos, patrimônios de bens imóveis e móveis, de campos eclesiásticos agindo de forma absolutamente ilícitas.
Na parábola do “Mordomo Infiel”, em Lucas 16.1-12, lemos que o mordomo era fiel, mas, tornou-se infiel posteriormente:
1.       O mordomo dissipou os bens do seu senhor (Lucas 16.1b). Ou seja, gastou fraudulosamente o que lhe fora confiado. Alguém o denunciou ao patrão, que o chamou a sua presença e disse: “Que é isso que ouço de ti?” A palavra de Deus é muito clara e tem o seu cumprimento: “... Porque nada há encoberto que não haja de revelar-se” (Mateus 10.26); “Aos fieis, são dados galardões” (Apocalipse 22.12); “A outros, porém, reprovação e condenação” (1Coríntios 3.13,15).
2.       O mordomo infiel que controlava as dívidas de dois devedores do patrão era inteligente; procurou fazê-los de amigos para o seu futuro. Ao primeiro fez-lhe um desconto de 50%, e ao outro, de 20%. A alegria dos devedores durou pouco, pois a esperteza do mordomo infiel não foi levada avante e tudo foi muito passageiro (Lucas 16.5-7). E como será no dia do juízo, quando faremos a nossa prestação de contas diante do Senhor?
Sabemos com muita tristeza que alguns obreiros eram fieis no início de seus ministérios e mordomos fieis, mas  passaram a ser, de forma ilícita, “proprietários de bens móveis e imóveis, e até do rebando do bom pastor Jesus Cristo”. 
Não estou dizendo que não podemos ser proprietários de imóveis ou móveis, com trabalho e dedicação de forma justa e honesta; entretanto não devemos nos locupletar usando recursos que não nos pertencem, e que são exclusivamente de Deus.
A fidelidade é um princípio para todo o servo do Senhor, e é um fator preponderante do caráter cristão!
                                                      
Pastor Alcides Fávaro 
Presidente da Assembleia de Deus Ministério no Ipiranga e da COMOESPO – Convenção dos Ministros Ortodoxos do Estado de São Paulo e outros.
Transcrito do Jornal Patmos - pelo Pr Renato Moura.
Com autorização do autor: Pr Alcides Fávaro.
PATMOS JORNAL – Jornalista: Pr Osmar Lino - Ano 1 - Edição 2 – Abril de 2012.
 

2 comentários:

  1. elizeu de oliveira21 de julho de 2012 14:42

    do pastor alcides favaro só podemos esperar coisas
    boas como esse artigo

    ResponderExcluir
  2. É verdade valoroso Elizeu de Oliveira, o amado tem toda razão!
    Nos cultos das segundas-feiras (para obreiros)somos sempre brindados com profundos ensinos de teologia prática proferidos pelo Pr. Alcides Fávaro. O irmão e todos os demais leitores estão convidados para participarem desses cultos em nossa sede.
    Horário: das 19h30 às 21h00. Endereço: Av. Dr. Ricardo Jafet, 214 - Bairro Ipiranga - São Paulo-SP.

    ResponderExcluir

O seu comentário sobre essa matéria será bem recebido.